Tecnologia e inovação: como adotar uma gestão de negócios inovadora?

A transformação digital trouxe inúmeras soluções tecnológicas. O intuito dessas inovações é facilitar a vida das pessoas, bem como representar receitas recorrentes dentro de uma empresa. Dado o contexto, você pode se perguntar: o que é preciso para que o negócio se beneficie de tecnologia e inovação?

Uma característica fundamental da transformação digital é o foco no cliente. Para que uma empresa consiga se sobressair bem nesse novo cenário, ela deve buscar meios de melhorar o atendimento ao consumidor, desde o primeiro contato até o pós-venda.

Vale salientar que a inovação não está somente ligada à tecnologia. É preciso, também, envolver os colaboradores, de modo que eles incorporem uma nova mentalidade em suas rotinas de trabalho.

Quer saber mais sobre a inovação e como implementá-la na sua empresa? Então, continue a leitura do nosso artigo para ficar por dentro do assunto!

O que é inovação?

Sempre que uma empresa desenvolve algo novo e este passa a ser tornar uma fonte de lucro, podemos considerar isso como uma inovação. Inovar vai desde criar um modelo de negócios disruptivo até a concepção de novos produtos e serviços que sejam úteis aos consumidores e tenham valor agregado.

Qual a importância de inovar?

A criatividade é uma característica inerente de quem empreende. Além disso, é importante que os colaboradores também sejam criativos e tenham uma visão empreendedorial.

Quando uma empresa aposta na inovação, ela está em busca de consolidação no mercado e de forma escalável, que consiga dar um bom suporte às demandas dos clientes.

Competitividade e satisfação do consumidor

Se não houver essa preocupação constante, uma empresa incorrerá no risco de perder em competitividade e satisfação do consumidor. Hoje em dia, a tecnologia é essencial na inovação e no sucesso dos negócios como um todo, uma vez que faz as companhias adotarem a chamada cultura de dados.

Em outras palavras, é preciso identificar e implementar meios de melhor atender os clientes. Para isso, utilizar softwares que coletam e analisam informações internas e externas ao negócio é fundamental, uma vez que os dados — que eram pouco explorados — se transformaram em ativos valiosos.

Por meio desses softwares, é possível obter diversas inferências e correlações, de modo a realizar o monitoramento e o aprimoramento dos processos internos da companhia, bem como agilizar e humanizar o atendimento ao consumidor.

Por que investir em novas tecnologias?

Se uma empresa está há bastante tempo no mercado, é possível que ela ainda utilize equipamentos de hardware e softwares obsoletos. Isso pode refletir negativamente em diversos resultados do negócio, uma vez que não existe a integração entre os departamentos.

Não obstante, alguns gestores podem ainda insistir em tomar decisões baseados em intuições e achismos. Além disso, o aporte de novas tecnologias faz com que os colaboradores deixem de executar rotinas burocráticas e repetitivas.

Em vez de planilhas, pode-se investir em softwares de gestão que automatizam tarefas e liberam os profissionais para funções de caráter mais estratégico.

Quais são as principais ferramentas de inovação?

Em complemento ao tópico anterior, existem várias ferramentas tecnológicas que são responsáveis por promover a inovação. Acompanhe, a seguir, e conheça as principais delas.

Big Data

O Big Data coleta e trata um grande volume de dados, que podem ser classificados em estruturados e não-estruturados. O primeiro diz respeito à informações de vendas e financeiro, por exemplo.

Já o segundo se refere à interação dos usuários nas páginas web e redes sociais da empresa. Com esses dados, os gestores e colaboradores conseguem fazer análises e verificar em que áreas a empresa está com a performance boa e os pontos que precisam ser ajustados.

Business Intelligence

O Business Intelligence, ou BI, é um conjunto de tecnologias, ferramentas e metodologias que ajudam o negócio a ser mais bem gerenciável. Além disso, representa uma integração entre a empresa, o setor de TI e a gestão. É uma solução usada em conjunto com o Big Data e que pode ser obtida por meio de aplicações como o Power BI.

Automação

Uma vez que é feito o mapeamento de processos, identifica-se tudo aquilo que pode ser automatizado. Existem vários softwares, como o ERP (Enterprise Resource Planning), que tornam o trabalho mais ágil, uma vez que realizam diversos cálculos e consultas em questão de segundos.

Com essa economia de tempo considerável, o trabalho dos colaboradores fica bem mais ágil e produtivo. Uma possível consequência da automação é que os profissionais terão mais condições de pensar em novas ideias e soluções para a companhia.

Inteligência Artificial

A IA é uma ferramenta que está por trás de diversas aplicações. Quando você acessa uma página na Internet, por exemplo, pode se deparar com um chatbot, que consiste em um algoritmo inteligente que resolve desde as demandas mais simples até as situações mais complexas apresentadas pelos consumidores.

Assim como a automação, a Inteligência Artificial é útil para agilizar os processos e deixar os profissionais mais focados no core business do negócio. A IA também propicia as chamadas análises preditivas, que permitem aos gestores identificar oportunidades futuras com precisão e elevada probabilidade de se confirmar na prática.

Sistemas integrados

Um problema bastante recorrente em muitas empresas é a não integração entre os seus sistemas. Essa situação pode fazer com que perca diversas oportunidades de analisar e monitorar os seus dados, uma vez que os sistemas não conversam entre si.

Uma das formas mais conhecidas de prover essa integração é por meio de API, ou Application Programming Interface. Por meio dela, é possível estabelecer a comunicação entre os sistemas da empresa, mesmo que as linguagens de programação sejam diferentes. Com isso, é possível centralizar as informações em uma única tela, de modo que os gestores passam a ter uma visão geral e, portanto, mais precisa do negócio como um todo.

Design Thinking

Partindo do pressuposto de que a inovação tem foco no cliente, o Design Thinking é uma excelente ferramenta nesse sentido. Por meio dela, é possível promover um atendimento e relacionamento mais humanizado e duradouro, aumentando não só as chances de conversão, como também, de fidelização.

Powered by Rock Convert

Sobre o Design Thinking, vale ainda salientar que ele pode reduzir os custos do negócio, uma vez que vale a máxima de que é mais barato vender muitas vezes para o mesmo cliente do que prospectar novos. A ferramenta ajuda a elevar o ROI do negócio, ou retorno sobre o investimento.

Mapa de empatia

O mapa de empatia pode ser usado em conjunto com o Design Thinking. Com isso, a empresa obtém diversas informações que ajudam a medir o nível de satisfação dos consumidores com o produto, serviço ou atendimento prestado.

Também sobre o mapa de empatia, é importante destacar que ele faz com que a experiência do consumidor com o negócio seja mais personalizada, de modo a guiar a concepção de novos produtos e serviços. Dessa forma, as chances de aumentar as receitas da empresa de forma duradoura aumentam consideravelmente.

5W2H

Usado na gestão da inovação, o 5W2H consiste em uma ferramenta baseada nas sete seguintes perguntas:

  • O que será feito?
  • Por que será feito?
  • Quem fará?
  • Onde?
  • Quando?
  • Como?
  • Qual o custo?

Como é possível ver, as cinco primeiras perguntas correspondem, respectivamente, em inglês, às perguntas what, why, who, where e when. Já as duas últimas interrogações representam o how e o how much, justificando, portanto, o termo 5W2H.

Como adotar tecnologia e inovação na empresa?

Além de contar com as ferramentas citadas há pouco, é preciso lançar mão de vários procedimentos que ajudarão o negócio a trilhar o caminho da inovação. A seguir, separamos várias dicas. Acompanhe!

Observar os concorrentes

Olhar somente para a própria empresa faz com que não se enxergue o que os concorrentes estão fazendo. Em outras palavras, é preciso acompanhar se as outras companhias do setor estão, ou não, realizando a chamada jornada digital.

Além disso, é possível fazer análises ainda mais detalhadas dos concorrentes, em relação, por exemplo, à forma como eles atendem aos seus clientes e como eles procedem em relação à fidelização deles. Com base nessa análise, fica mais fácil ter uma visão precisa sobre o que pode ser melhorado ou ajustado internamente, de modo a obter uma vantagem comparativa.

Alinhar os objetivos da empresa

Uma forma de alinhar os objetivos do negócio é por meio de um planejamento estratégico. Para a execução, é indispensável consultar os colaboradores, de modo que os objetivos fiquem mais bem alinhados entre todos dos membros da empresa.

Estimular a criatividade da equipe

Nunca é demais enfatizar que a inovação é algo oriundo da criatividade. Nesse sentido, é importante, na medida do possível, eliminar os entraves hierárquicos, uma vez que podem prejudicar a eficiência da comunicação entre os membros da companhia.

Existem atividades que podem incentivar os colaboradores a ser mais criativos, deixando-os mais à vontade na hora de propor ideias e sugestões para a inovação do negócio.

Usar tecnologias inovadoras

Investir em tecnologias ajuda o negócio a ter um foco maior na inovação, uma vez que existem softwares dotados de Big Data, Business Intelligence e IA, por exemplo.

Apenas com essas ferramentas integradas aos sistemas, já é possível aproveitar uma série de benefícios, como a automatização de rotinas repetitivas e a redução de custos. A segurança dos dados também é maior, uma vez que muitas dessas aplicações utilizam a computação em nuvem.

Consumir conteúdo

É preciso se atualizar constantemente quanto às novas tendências tecnológicas. Por isso, consumir conteúdo é algo de grande importância, uma vez que auxilia os gestores e colaboradores a ficarem informados sobre tudo aquilo que há de novo sobre tecnologia.

No futuro, isso pode até servir de base para a concepção de novas soluções por parte dos profissionais da companhia. Dentre as várias formas de consumir esse tipo de conteúdo, podemos citar:

  • vídeos;
  • documentários;
  • séries;
  • filmes;
  • revistas;
  • livros;
  • eventos de arte e música;
  • conversar com outros profissionais etc.

Ter foco no cliente

O chamado consumidor 2.0 é alguém que pesquisa bastante um produto ou serviço na Internet. Logo, a empresa que conseguir ser vista e prestar um atendimento, de fato, direcionado para a resolução das dores de uma pessoa, terá mais chances de vender.

Até pouco tempo, focava-se muito um produto e pouco o consumidor. Entretanto, continuar com essa mentalidade é algo bastante indesejado.

Isso porque as pessoas desejam valor agregado, e não, simplesmente, comprar um produto ou contratar um serviço. Em outras palavras, é preciso criar estratégias de vendas com foco no cliente, enfatizando os benefícios que ele terá e como aquela solução resolverá as suas dificuldades.

Capacitar-se

A inovação requer gestores e colaboradores capacitados. Logo, o investimento em cursos deve ser levado em conta. Dependendo da habilidade que se deseja aprender, nem sempre será preciso investir muito. Existem vários cursos na Internet que são gratuitos ou com um valor bem acessível.

Além disso, o tempo que se leva para um novo aprendizado não deve ser visto como um desperdício. Os gestores da companhia devem ter em mente que isso será bastante recompensado lá na frente, na forma de receitas recorrentes e satisfação do consumidor.

Oferecer recompensas aos colaboradores

Colaboradores incentivados tendem a dar mais para a empresa, sendo mais criativos e contribuindo para a inovação. Entretanto, é preciso ter o cuidado de não fazer isso em um momento inoportuno, quando as receitas do negócio estão em declínio, por exemplo.

Para que os profissionais sejam gratificados com prêmios ou aumentos salariais, a companhia deve estar com uma boa performance.

Usar indicadores de desempenho

Medir os resultados da inovação ajuda a identificar o que está dando certo e o que precisa melhorar. Existem diversos indicadores e métricas disponíveis, cabendo aos profissionais de gestão e demais colaboradores escolher aqueles que fazem mais sentido dentro de determinada análise.

Com tecnologia e inovação, uma empresa pode alcançar resultados significativos. Desde a automação de processos e aumento da receita até a fidelização dos clientes, estimular a criatividade é algo essencial para que o negócio permaneça competitivo dentro de um mercado fortemente caracterizado pela transformação digital.

Gostou do conteúdo? Continue a visita em nosso blog e aproveite para compartilhar este post nas redes sociais!

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.