Veja o que é Product Market Fit e por que aplicar nas empresas

Um produto de qualidade e que atende às necessidades dos consumidores certamente se tornará uma fonte recorrente de receitas. No entanto, alcançar um nível de excelência requer esforço e um método definido, que seja capaz de mostrar todos os ajustes que devem ser realizados. O Product Market Fit lida exatamente com isso.

Ao longo do texto, você entenderá melhor quais os ajustes e etapas necessários para que a empresa consiga estabelecer um produto com excelência ao seu público. Além disso, será possível compreender que se trata de um processo iterativo e que requer monitoramento constante por meio de métricas. Ficou interessado em saber mais sobre o Product Market Fit? Continue então a leitura até o final e fique por dentro do tema!

O que é Product Market Fit?

Traduzindo para o português, o termo Product Market Fit se refere aos ajustes de produto ou mercado. Uma das definições mais conhecidas é a de Marc Andreessen, investidor do Vale do Silício e co-fundador da Andreessen Horowitz, uma firma de investimento. Segundo Marc:

Product Market Fit significa estar em um bom mercado com um produto que pode satisfazer esse mercado.

Ainda que uma empresa tenha pessoas capacitadas no time e um bom processo, se o produto não estiver alinhado com as expectativas e necessidades do público, ele não se tornará uma fonte de receita recorrente. Por isso, o uso do Product Market Fit se faz tão importante, como uma forma de tornar algo vendável e que cause encantamento por parte do consumidor.

Por que aplicar o produto Market Fit na empresa?

O uso do Product Market Fit é extremamente vantajoso porque permite mensurar o quão um produto é estável, por exemplo. Em outras palavras, a empresa ainda consegue obter uma receita duradoura, mesmo se o mercado e os hábitos de consumo tiverem mudado ao longo do tempo.

Da mesma forma, se não há estabilidade, é sinal de que o produto deve ser ajustado ou até mesmo descontinuado. Também é importante salientar o impacto na fidelização dos clientes, que estão sempre em busca de inovação e alto valor agregado.

Como implementar o Product Market Fit?

O método que vamos apresentar é conhecido por Lean Product Process ou Processo de Produto Enxuto. Foi criado pelo consultor empresarial Dan Olsen e consiste em seis etapas: segmentação de clientes, identificação de necessidades do público mal atendidas, criação de uma proposta de valor, além das features, prototipagem e testes do Mínimo Produto Viável (MVP). Saiba mais, a seguir!

Segmentar clientes

Um bom produto deve ser vendido para as pessoas certas. Partindo desse princípio, a segmentação de clientes servirá como um filtro que mostrará à empresa quais os potenciais consumidores, com base em informações relacionadas com:

  • idade;
  • sexo;
  • localização;
  • formação acadêmica;
  • poder aquisitivo;
  • hábitos de consumo.

A segmentação tem por objetivo trazer o máximo de especificidades sobre os consumidores. Com base nisso, todas as estratégias subsequentes serão aplicadas de modo a fazê-los percorrer a jornada de compra, que vai desde o primeiro contato com o blog ou site do negócio até a decisão final de adquirir o produto.

Identificar necessidades do público mal atendidas

Não é raro encontrarmos problemas e necessidades do público que não são devidamente sanadas pelo mercado. Nesse sentido, é preciso enxergar oportunidades e, posteriormente, trabalhar em um produto que apresente diferenciais capazes de trazer a satisfação que o cliente procura. Como veremos logo a seguir, essa segunda etapa será o norte para a criação de uma proposta de valor.

Powered by Rock Convert

Criar uma proposta de valor

É aqui onde o produto deve deixar claro para o público o quão ele é melhor do que os seus concorrentes. Vale destacar que essa etapa requer o refinamento de ideias, de modo que só devem ser levadas adiante aquelas que, de fato, vão agregar valor ao consumidor, mesmo que muitas outras boas alternativas sejam descartadas ao longo do processo.

Definir as features do MVP

Com a proposta de valor definida, o próximo passo é transformá-la em features ou características de um MVP. Por meio dessa representação enxuta do produto ou solução, será possível avaliar o que os clientes esperam, bem como realizar ajustes solicitados pelo público, de modo a proporcionar o máximo de excelência no tocante à experiência do usuário ou User Experience (UX).

Criar o protótipo do MVP

Um protótipo deve ser funcional, confiável, usável e ter um bom design, sendo que, para a sua criação, é possível optar por níveis diferentes de fidelidade e interação. Na prática, ele pode ser feito manualmente em um quadro (baixa fidelidade e interação) ou por meio de wireframes e ferramentas de prototipagem, com níveis médios e altos. Essa é uma definição que vai depender do produto que está sendo desenvolvido.

Testar o MVP

Durante o teste do MVP, é preciso estar atento a todas as ações praticadas pelos usuários, bem como anotar o feedback recebido. Para saber se o produto terá viabilidade ou não, uma recomendação é fazer perguntas que instiguem os usuários a dar detalhes sobre a sua experiência com aquele protótipo, em vez de responder de forma objetiva com um sim ou um não.

Com base nas informações coletadas, deve-se fazer a correta interpretação, de modo a realizar os ajustes necessários ao MVP ou em qualquer outra etapa anterior. Vale reforçar que o Lean Product Process é iterativo e deve ser realizado muitas vezes se for necessário, no intuito de refinar ao máximo todas as características que farão do produto em questão um sucesso de vendas.

Como fazer a mensuração do Product Market Fit?

Após o produto ser comercializado, é preciso utilizar métricas para saber se os ajustes realizados no Lean Product Process foram efetivos ou não. Dentre as principais formas utilizadas de mensuração podemos citar:

  • taxa de rejeição — é quando o usuário entra em uma página e a abandona sem fazer nenhuma ação. Vale ressaltar que nem sempre o problema é o produto, bastando apenas alguns ajustes no layout do site;
  • NPS ou Net Promoter Score — indica o percentual de clientes promotores do produto (que divulgam para outras pessoas) e os detratores (que falam mal e, portanto, fazem propaganda negativa);
  • LTV ou Lifetime Value — considera o tempo em que o cliente comprou aquele produto e o quanto de receita ele gerou ao negócio.

O Product Market Fit ou ajuste de produto/mercado busca trazer a satisfação e fidelização dos clientes. Trata-se de uma metodologia indispensável no meio corporativo, visto que a sua implementação de forma iterativa permite elevar a qualidade e o valor agregado de algo que será disponibilizado para a venda, sendo, portanto, uma fonte de receitas recorrentes e duradouras.

Viu como a implementação do Product Market Fit pode trazer ganhos expressivos de vendas em um negócio? Continue em nosso blog e aproveite para curtir a nossa página no Facebook!

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.